LM100 | Hisham Bharoocha

 

O artista e músico Hisham Bharoocha não cansa de fazer referências e refletir sua própria experiência quando pinta ou compõe. Sua arte não pretende ser figurativa nem literal, mas impressionista e abstrata. Se olhar e ouvir com cuidado, a pessoa percebe o surgimento de um artista jovem e com visão de futuro. Através de sua arte, ele enfrenta questões a um só tempo universais e individuais. A questão mais frequente é simples, mas confusa: Por que estamos aqui?

O método e o foco da obra de Hisham tem origem nas diversas interseções de sua vida cotidiana: visualizações processadas em sua prática de meditação, impressões da vida urbana de uma criança em Tóquio e que agora mora em Nova York e a justaposição inesperada da memória inconsciente com o pensamento deliberado. Como resultado, sua obra está longe de ser minimalista, mas muitas vezes complexa, frenética e intensa. “Meu trabalho trata da vibração”, diz Bharoocha. Ele tenta usar uma ampla gama de notas e sons em sua música, e em seus quadros, muitas vezes usas todas as cores que consegue encontrar, tentando não usar a mesma cor mais de uma vez. “Há todas as camadas diferentes entrando e saindo”, diz Bharoocha.

A função de Hisham no LM100 começou com a sua criação de uma instalação de arte em conjunto com o Yerba Buena Cultural Center para a “First Night” San Francisco do Le Méridien. Hisham sente que um hotel deveria incorporar arte para criar "um ambiente que as pessoas possam vivenciar — ter sua própria vivência".