LM100 | Andrea Illy

 

Para Andrea Illy, uma xícara de café espresso não é uma bebida. É um modo de vida criativo. "É uma experiência em si. Multissensorial. Ela envolve a visão, o olfato, o paladar e o tato. Tudo", diz Andrea. Como presidente do conselho da illycaffè, empresa de café internacional, ele se vê como mais do que um executivo. Ele é químico, filósofo, inovador.

A cultura do café — o café, a xícara, o espresso em si —, além de proporcionar um meio para a criatividade, torna fazer espressos e tomá-los atos criativos em si. Usar a máquina de café, sentir o aroma e moer os grãos, colocar o espresso na xícara certa — para Andrea: “É todo um ritual”. Tomar espresso encerra o cultivo do prazer, da criatividade e da contemplação em uma pequena xícara.

A beleza da própria xícara, daí, é essencial. Então, quinze anos atrás, a empresa começou a trabalhar com artistas contemporâneos para transformar a xícara numa tela. “O café é o corpo; a xícara, o vestido. E o vestido precisa ser lindo”, diz Andrea. Encomendando uma edição limitada exclusiva de xícaras de espresso e cappuccino, a illycaffè incorporou o trabalho de artistas como Louise Bourgeois, David Byrne, Francis Ford Coppola, Federico Fellini, Jeff Koons, Michael Lin, Nam June Paik, Robert Rauschenberg, James Rosenquist, e muitos outros.

A função de Andrea no LM100 é oferecer essa experiência do café aos hóspedes do Le Méridien. Na Itália de Andrea Illy: “Todos frequentam cafés, muitas vezes por dia. São a catedral do café”, diz ele. Andrea ajudou o Le Méridien a trazer a cultura do café para os hotéis pelos Le Méridien Coffee Bars e degustações de café na “Creative Hour” do Le Méridien.